sábado, 19 de junho de 2010

Bailhar doce e Mortal

Venha doce espada
Teu fio, teu brilho
Teu deslizar sobre a lamina do oponente
Teu corte a desenhas uma linha vermelha
De sangue dos meus inimigos
Somos alimentados e crescemos
Ao som de teu fio
Contando o ar e carne
Nossos passos embebidos em êxtases
Nosso olhar vendo um segundo por um ano
Horas de doce bailhar da guerra
Em um instante
Uma apresentação mortal e doce