segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Um demonio

E mais uma vez ele se levantará de sua tumba
Ele não virá como os outros demonios envoltos e fogo em enxofre
Ele não será negro como a noite, nem frio como o inverno
Ele vira regado em branca pela pela luz da lua
exalará o doce perfume dos cartuchos de polvora
e não terá o fogo como arma
Mas sim a brisa da loucura e seu punhos