sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Meus cães

Hoje andei por terrenos abandonados e tomados pelo mato
Andei onde nem a luz da lua cheia não iluminava
Havia ali dois cães raivosos
Um atacava por pura vontade de proteger
O outro atava por pura vontade de atacar e medo de ser atacado
Juntos e acorrentados a uma pequena entrada
Protegiam aquilo que eu não queria mas encontrei
E que agora terei que seguir
Porem de um dos cães tenho que me armar
e a resposta parece obvia
Mas o corajoso poderá fraqueja 
Já o insano seguira em frente, mesmo sem a carne nos ossos
E como a insanidade é harmoniosa...