terça-feira, 19 de outubro de 2010

Doce ceifeira

Minha doce ceifeira
Porque vem em tão delicada forma
Como tenta me seduzir mesmo com lamina em punho
Perfeita jovem, frios lábios que tanto desejo
Você apare em meus campos
Recolher os meus inimigos derrotados
Teu vestido a te insinuar
Teu gesto a me desprezar
Teu olhar a me acariciar
E eu sempre a desejar teu final beijo