domingo, 10 de outubro de 2010

Pequeno amor

Meu pequeno amor
Lembra-se daquelas tarde em minha campina
A sombra daquela arvore
Falei-lhe sobre meus campos de flores
Mostrei-lhe meus campos de guerra
E você sorriu e adorou o cheiro daquela flor
A flor de minha guerra, vermelha e solitária
Flor negra e assustadora, ainda assim incrível
Deitamos a tarde sobre aquela sombra
Você me contou onde tuas asas já a levaram
Mostrou a velocidade de tua mão
A força de sua imortal foice
Sonhamos juntos
E pelo resto da eternidade encarei teu olhar
Esperando aquele tão inevitável e distante beijo
Beijei-te, te amei
Meu pequeno anjo da morte.