terça-feira, 19 de outubro de 2010

Anjos de Guerra II

É machado, é pequena flor
É grossa lâmina, é delicada criança
Pesa arma, somente regida pela força
Doce menina segurada apenas pelos sonhos
É um anjo em meu coração
Deusa e noite em negros vestidos
Deusa e morte em tempos de guerra
Machado que levo pela mão ou em minhas costas
Menina e mulher que em mão conduzo a dançar em palcos de guerra
Anjo da morte e amor que são marcam carne e alma
Em palavras simples e assustadoras
Te amo meu pequeno anjo.