segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Caminho inadvertido

Maldito fio de sangue que corres de teus lábios
Fui meu vil desejo de carne que o fizeste brotar
me quebra a alma cada gota escorrida
cada pulsar perdido

Deixaste marcas em mim
mas nada me dói mais que a lembrança
cada gota derramada que seca
e assim como seu olhar perde o brilho quando olha pra mim

vil desejo mundano
vil permissão inadvertida

minha alma quebrada
teu carinho a perder