terça-feira, 13 de outubro de 2015

Aquela Imagem

Quem me dera o ódio me sega-se
Quem me dera meus olhos mostrassem alguma insanidade
Mas não há nada ali, só a linha do horizonte
Só o vazio de um livro faltando na estante

Um cicatriz fechada a fogo de uma bela batalha
Uma ressaca depois da épica noite de bebedeira
Aquele cansaço depois do treino
Aquele frio depois do banho

Algo arranha meu peito
Algo aperta minha alma
Algo me tira o foco da noite

Não é arrependimento, nem odeio
É um ciume singelo, um carinho perdido
Um lembrança maravilhosa que deixou saudades