segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O Caminho é reto mas a cada passo perco a direção
E a cada passo o sangue escorre por minha lamina
Minha respiração ofegante e minha mente nebulosa
A escuridão guarda tudo aquilo q me fere
Mas e lá que esta minha alma e minha tranquilidade
Nos corpos sem vida de meus inimigos
De seus corações alimentando a fogueira que me aquece
E com o seu sangue a banhar minhas roupas e a secar em minha espada