quarta-feira, 1 de março de 2017

Culpa

Urrei e babei feito uma fera ferida próxima de seu fim
Mas fui eu que feri e trai,
Fui Eu que a conduzi com sonhos que também sonhei
Mas fui luxuriento de mais.
E no auge do meu egoismo pensei que seria bom para nós
Mas enganei a mim mesmo

Sempre procuro a lança mais afiada para que essa me atravesse
Mas me esqueço que o mundo ve
Por isso urro e babo em desespero jogado de joelhos em um canto
Minhas pernas e minha alma se dobram
E me dou a terra para que ela me engula para que os vermes se alimente
Se é que prestarei ao menos para isso.