domingo, 23 de dezembro de 2012

Cansaço

Estou cansado
Os fardos que carrego
As vidas que recolhi em minha sede
Seu sangue já não é doce como antes
O sabor de suas vidas já não me satisfaz
Levaram meu brilho
Levaram minha carne e alma
Até meu sangue podre escoaram
Os ossos já estão amarelos e podres
Quero ficar aqui, na sombra
Quero ver suas vidas brotarem e morrerem
Que se sua carne recupere o sabor de antes
E que seu sangue volte a ser doce como antes
E que seu grito ao te devorar volte também a ser musica
Estou cansado, sua morte já não me satisfaz
quero descansar, para novamente matar e morrer