quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Es anjo puro e branco em veu negro
Fina seda a cortornar suas curvas e  deslizar em sua pele
Teus cabelos ao vento es anjo em negro vestido
E felicidade em vil desejo carnal
Tuas asas a se abrirem sobre mim em meu caminhas
Torrida tentação a minha frente e tão distante de minhas mãos
Como quero terte em meus braços
Como quero provar de teu amo
Mas fico aqui a vagar pelo deserto armas em mãos
Sangue seco nas veias e um  peito vazio
Mas ergo minha espada ante tua imagem e te desejo e juro
Desejo e juro te alcançar em meus braços e te envolver sobre a sombre de meu corpo