sábado, 4 de junho de 2011

Bela Morte

Sinta o cheiro
A doce morte me ronda
Como ela é bela
Como o anjo negro que se deitava comigo
Em relvas rubras e quentes do sangue derramado em batalhas
Bela é a morte que me ronda
Mais bela que os tesouros que um dia sonhei guardar
Seu cheiro sobe sobre as dunas de minha prisão
Mas seu cheiro, leve e doce, me conforta
A cada passo sei que ela caminha ao meu lado
É eterna, é inevitavel, é bela
Sentado sobre as dunas eu a espero
Sob sol ou sob estrelas
minha bela morte
ali a amo