segunda-feira, 9 de maio de 2011

As dança das sombras

O passar do sol
O passa da lua
As sombras da área dançam
Ao Som dos tons do inferno
Seria o inferno das almas que ceifei
Ou seria o inferno dos campos devastados
A areia a danças sob minha sombra
Fantasmas que se levantam a me cercarem
Ecos do passado a distorcerem minha mente
Pois em meu presente sento sobre areia escaldante
E vejo ao longe a miragem do trone de pedra
Vejo ao longe os fantasmas de minhas sombras dançarem
E divago lenta e dolorosamente em seu balançar
Afogando-me em espadas que m dilaceram alma e carne
Mesmo assim em sangue e fogo me delito
Meu passando dançando sobre a sombra de meu presente
Onde cada vez mais minha alma se afunda nas dunas