sábado, 17 de julho de 2010

Fecho os olhos

Fecho os olhos
Sinto tua face tremula sobre meu peito
Teus labios entre abertos a tocar os meus
O cansaço em teu peito e em teu olhar

Fecho os olhos
Sinto o punho da espada e o peso do escudo
O cheiro do sangue inimigo em meus campos
Teu medo, minha bela, escondido em tua face fria

E a insana direção que traçarei com minha lamina
Sobre o sangue e incertesa eu fecho os olhos