quinta-feira, 1 de julho de 2010

Calmo desastre

Sinta o pulsar do sangue em minhas veias
Olha minhas pupilas e me diga se estão dilatadas
Você saberia dizer se estou com medo ou excitado?
Saberia dizer se amo, odeio ou se estou ansioso?
Então olhe em volta
Veja o fogo consumindo os prédios
Vejas o chão se abrindo e engolindo os carros
Veja as pessoas que se desesperam
Então olhe novamente para mim
e pergunte onde minha mente esta
E eu lhe responderei como se estivesse em um campo calmo :
- “Os que sobreviverem construíram tudo novamente
E se não tomarem cuidado tudo se repetirá “...
Então você me acusará de ter feito tudo isso acontecer
Eu não negarei e ainda confirmarei com orgulho