domingo, 4 de julho de 2010

Asas Feridas

Diga a eles que ainda posso voar
Minhas asas chamuscadas do sol
E queimadas do inferno
Mas anuncie que ainda posso voar

Elas eram brancas e puras
Ficaram vermelhas e encharcadas de sangue
Foram queimadas pela felicidade e pela tristeza
Hoje elas são negras como o carvão que envolver o diamante

Hoje elas abrem metade do que abriam
E alcançam metade da altura que alcançavam

Mas agora vôo duas vezes mais veloz
E enxergo dois amanhas na frente