segunda-feira, 15 de março de 2010

Meu Elísios

Tua voz me carrega novamente ao inferno
Entre os dentes de Cerberus e as chamas de Hades
Caminho em pele esfolada de aço e sangue
Em brasas e pé descalços
Em minhas costas a asas que um dia um anjo meu deu tatuada
Em minha mão o couro e o metal das laminas
Perco-me nas chamas mais uma vez
Chamas que só trazem a dor
Quem não iluminam meu caminho
Mas mesmo assim de calor confortável
E assim ando em meu fim
No inferno grego
Pois aqui ainda posso ter a esperança de encontra
Encontra meu Elísios.