terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Minha Cidade

Ando em suas ruas
Durmo em tuas calçadas
Já amei sem suas praças
Já matei em teus becos escuros
Você cresceu e eu fiquei junto de ti
Mas agora você se corrompe
Vis ratos sem sangue correm em tuas ruas
E você os deixa se esconderem em tuas sombras
Você se corrompeu e ficou fraca
Devo eu te abandonar em sua decisão
Ou devo esmagar os ratos
Mesmo que seja o seu sangue a correr