sábado, 16 de janeiro de 2010

Sobre meu jazido

Venha meu pequeno anjo
Vamos passear sobre as flores de plástico
Vamos nos divertir sobre o mármore esculpido
Deixe-me tocar suas asas e beijar teus lábios
Venha meu demônio
Abra o chão onde estou
Abra o meu jazido final
Toque meu corpo e me traga de volta
E me jogue nos braços de meu anjo
Pois ele mostrou onde era minha cova
Meus demônios amam meus anjos
E entre seus braços me perco.