domingo, 17 de janeiro de 2010

MInha Arvore

Enterro-te no solo fértil daqueles que já se foram
Regarei você com o suor de meu trabalho
E te alimentarei com o sangue de minhas lutas
Medirei meus filhos em teu tronco
Repousarei e amarei sob sua copa
Você é a semente das cinzas de meu passado
E chegara o dia que tua lenhar servirá para alimentar o fogo.
Assim como sua mãe alimentou o fogo das forjas de minha casa
Pois chegara o dia novamente
O dia onde o único repouso será estará no fim de uma batalha