terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Lembranças e Fumaça

Ele está ali sentado como todas as noites
As boates não o agradam
Os bares não o entretêm mais
Sentado a sombra da arvore a luz da lua
Uma lenda solitária e deprimida
Um copo de café e um cigarro acesso
Um nome de alguém que o deixou
Cuidadosamente escrito no cigarro
Tentativa fútil de queimar memórias
Felizes tempos deixados para traz
Onde só ele ainda vive.