quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Na campina

Vem sente ao meu lado
Repouse na sombra comigo
coloque seu rosto sobre meu peito
Relaxe sobre a brisa

A brisa que leva meus pensamentos e minha memoriais
Ela assovia no vazio de meu peito e eco na minha mente
Ela esfria o sangue quente e relaxa o músculo tenso
Mas os olhos não fecham

Nos meus olhos, refletem sua imagem adormecida
Meus olhas refletem as folhas sobre a brisa e a relva a oscilar
Eles refletem as nuvens, a dançar no céu
Meus olhos só não reflete a insanidade no meu amago